Articles for Março 2008

Textos de Filosofia da Religião

Existem muitos e bons textos de Filosofia da Religião na internet. Eis alguns:

Cultura X Biologia

Felicidade pode herdar-se mas depende da atitude

 Eduarda Ferreira

Os genes são responsáveis por alguns traços de personalidade capazes de favorecer a felicidade. São esses genes que tornam algumas pessoas mais sociáveis, menos tensas e preocupadas e capazes de lutar por um objectivo que lhes dá sentido à vida. Esta foi a conclusão a que chegaram cientistas britânicos e australianos, depois de estudarem quase mil pares de gémeos.

Investigadores que estão a pesquisar os mecanismos da depressão analisaram as atitudes e estilos de vida de quase dois mil indivíduos que partilham duas condições genéticas uns são gémeos verdadeiros, outros falsos. E concluíram que a herança genética é responsável por cerca de metade dos traços de personalidade que predispõem o ser humano a ser feliz, independentemente de factores como a saúde, o dinheiro e o tipo de profissão.

Quem tenha esse património que faz pender uma pessoa mais para a felicidade do que para o desalento acaba por garantir também, através dos seus traços de personalidade, uma reserva, de natureza afectiva, para enfrentar os tempos difíceis.

Um dos investigadores, Tim Bates, da Universidade de Edimburgo, faz uma advertência as pessoas que não herdam os traços que predispõem à felicidade não devem concluir que estão destinadas a uma vida desgraçada. Aliás, ele e a sua equipa estão precisamente a estudar agora se é possível as pessoas adoptarem os traços de personalidade associados à felicidade para conseguirem ser felizes. E esses traços estão enunciados, alguns deles fazendo parte de receitas bem divulgadas: ser activo, sociável, não entrar em stresse, passar mais tempo com a família e amigos, ver menos televisão, não deixar que o trabalho avassale toda a sua vida e saber apreciar mesmo os pequenos bons momentos.

O estudo de gémeos é um recurso clássico nas ciências do comportamento e, agora, também na genética. É possível, por exemplo, comparar o percurso de irmãos separados à nascença e criados em ambientes totalmente distintos. Nesta pesquisa, um dos casos refere-se a dois gémeos idênticos que, tendo níveis e modos de vida quase opostos, indicavam iguais níveis de felicidade e de satisfação. No caso dos gémeos falsos, só em metade dos casos havia coincidência.