Articles for Dezembro 2016

Fez-se passar por mãe de menino doente, que conheceu no IPO e até usou a sua foto num jazigo de família. Acusada de sete crimes.

Leia mais: Usou filhos dos outros para obter atenção no Facebook http://www.jn.pt/justica/interior/usou-filhos-dos-outros-para-obter-atencao-no-facebook-5577747.html#ixzz4ULRgyqw4

Porto Editora disponibiliza resumos de obras literárias para telemóveis

Versões resumidas de obras como “Memorial do Convento” ou “Felizmente Há Luar” estão agora disponíveis para telemóvel, numa iniciativa da Porto Editora, que procura “adaptar os conteúdos aos dias de hoje” sem substituir os antigos suportes.

“A disponibilização de conteúdos digitais para suportes móveis é um passo que andávamos a preparar há alguns meses e que agora damos, apostando numa área que nos é bastante querida: a educação”, revelou Paulo Gonçalves, do gabinete de comunicação e imagem da Porto Editora, à agência Lusa.

Os conteúdos da colecção Resumos Mobile foram organizados por professores especializados e desenvolvidos para iPhone e para telemóveis com sistema operativo Symbian S60 (por exemplo, Nokia N73, N78 e N95), sendo compatíveis com iPod touch e iPad.

Segundo o responsável, estão disponíveis “resumos de estudo de obras em língua portuguesa de autores consagrados que são abordados no ensino secundário”, com vista a “apoiar o estudo dos alunos que, quando estão a preparar-se para os exames, podem agora aceder a conteúdos via telemóvel”, seja para leitura ou audição.

Às obras “Felizmente Há Luar”, de Luís de Sttau Monteiro, e “O Memorial do Convento”, de José Saramago, juntar-se-ão, em breve, “Os Maias”, de Eça de Queirós, “Frei Luís de Sousa”, de Almeida Garrett, “Mensagem”, de Fernando Pessoa, ou “Os Lusíadas”, de Luís de Camões.

“A partir de agora é possível vermos jovens estudantes na rua com os seus telemóveis e os seus auriculares a ouvir os resumos”, assim se preparando “para os exames ou para as provas”, declarou Paulo Gonçalves, salientando que as novas plataformas não pretendem substituir outras, mas sim oferecer “opções complementares”.

Nessa lógica, “esta forma de aceder aos conteúdos educativos não vai retirar a utilização dos livros auxiliares”, podendo até “estimular o acesso ou o interesse por esse tipo de edições”.

“A nossa experiência diz-nos que a disponibilização de novos formatos, novos suportes, aumenta o interesse nos conteúdos por parte dos utilizadores. E isso tem reflexo na procura de edições em papel”, acrescentou.

Os conteúdos podem ser adquiridos na Apple Store, no site da Porto Editora ou na sua versão mobile, alojada em m.portoeditora.pt, onde é também possível aceder a uma enciclopédia, a 13 dicionários e ao Vocabulário Ortográfico de Língua Portuguesa.

Aqui, além de uma versão para a generalidade dos telemóveis com acesso à Internet, existe uma outra, especialmente concebida para ambiente iPhone.

Fonte: Lusa

Posted By Guest Blogger 22nd of December 2016 Writing Content 36

 

As 2016 winds down, many of us are looking towards 2017 wondering what we can do to take our blogs to the next level. Will next year be the year we finally:

  • Turn our blog into a legitimate side-hustle?
  • Score a guest post on a big site?
  • Launch that online course?

Whatever our individual goals might be, every blogger can benefit from doing the following six things in January:

 

1. Take a break

Those first couple of weeks in January? Everyone’s either still on holiday, or slowly working their way back into the new year after the craziness of Christmas. If ever there was a good time to take a blog hiatus, this is it. Many people fret that if they take time off they will lose the momentum they’ve spent the whole year building. Experience has taught me nothing is further from the truth. A hiatus makes your readers miss you and this is always a good thing.

Give yourself permission to have at least the first two weeks of January off. Don’t post anything on your blog. Reduce the time you’re spending on social media. Use that time to catch up on reading and go for long walks.

Not only will you be mentally refreshed when it comes time to write on your blog again, you’ll also have a ton of ideas ready to work on.

2. Reflect on 2016

January’s also a good time to do deep dive into your stats. Analyse what was common to your most popular posts. Make a note of the posts you most enjoyed writing. Identify the things you thought would go well, but didn’t.

The difference between a good blog and a great blog lies at the intersection of what your readers enjoy reading, and you enjoy writing. It’s difficult to identify where that intersection lies if you never take time to reflect.

3. Run a survey

If there’s one thing I’ve learnt over the years, it’s that many of the assumptions I make are wrong. Which is why it’s good policy to always test your assumptions and there’s no better way to do this than via a survey.

Identify the assumptions you have made about who your readers are and what kind of information they want from you … and then create a survey that tests those assumptions. The results you get might lead to a slight change in direction that makes all the difference for your blog in 2017.

4. Set goals like a ninja

January is not the time for vague statements like ‘I want to be a better blogger in 2017’. January is the time for identifying exactly what you want to achieve and then ensuring the things you are striving for are SMART goals:

S – specific, significant, stretching
M – measurable, meaningful, motivational
A – agreed upon, attainable, achievable, acceptable, action-oriented
R – realistic, relevant, reasonable, rewarding, results-oriented
T – time-based, time-bound, timely, tangible, trackable {Source}

What your 2017 SMART goals might look like:

  1. Increase my email subscribers by 5% in the first quarter of the year
  2. Publish eight quality posts over the course of February and March
  3. Send out a subscriber email every week without fail
  4. Start a podcast
  5. Create an e-book

5. Map out the exact steps for achieving your goals

Telling yourself ‘I will increase my email subscribers by 5% in the first quarter of the year’ is one thing. Doing it is another. (Sounds silly, but quite often I see people thinking the setting of the goal is all they need to do to achieve it.)

What actually allows you to achieve your goal is mapping out, step-by-step, the things you are going to do to get there.

The steps for increasing your email subscribers might look like this:

  1. Check your email sign up form actually works
  2. Ensure the call to action/opt in gift is something your readers really want
  3. Create a pop-up version of your subscribe form and set it to appear when a reader has made it all the way to the end of a post
  4. Monitor the conversion rate on the pop-up subscribe form after two weeks and see if there is anything I can do to increased that conversion rate

If your goal is to write one blog post each week for the entire year, you will benefit from writing down exactly which day of the week you’re going to:

  1. Write your first draft
  2. Edit the post
  3. Press publish

As an example, this year I’ve aimed to publish a high-quality blog post every Thursday. To do that consistently I know I need to write a dodgy first draft on Monday, edit it on Wednesday, then give it a final polish and publish it on Thursday.

Studies have shown that writing down your intentions about WHEN you are going to do the things involved in achieving your goal significantly increases the likelihood of you achieving that thing – and I have certainly found that to be true this year.

6. Choose a guiding word or mantra for the year

Sometimes, when we’re toiling away deep in the bowels of our blogs, it’s easy to lose sight of why we do this thing. Particularly when things aren’t going as well as we’d like. At times like these, it’s handy to have a guiding word or phrase that acts as a reminder of the impact we’re trying to have on people’s lives. Phrases like:

  • Be useful
  • Change lives
  • Interact – Inform – Inspire

While we’re all blogging for some kind of personal gain (increased income or profile, an outlet, a way to connect with others), it’s important to remember that a blog can’t be successful without happy readers. The mantras above (or the mantra you choose for yourself), help remind us of this.

Bring on 2017

In an interview I did with Mark Manson a few months he said: ‘With my writing, I aim to always be moving ahead, always experimenting and exploring. A repetitive blog is a dead blog.’ Take care of the above six things in January and you can be assured your blog won’t be in any danger of becoming repetitive or dead any time soon.

Kelly Exeter is a writer, editor, and designer who’s endlessly fascinated by the power of the stories we tell ourselves. She explores these on her blog and in her books Practical Perfection and Your Best Year Ever. Connect with her on FacebookTwitter, and Instagram.

O jornalista de investigação turco Ahmet Sik foi detido esta quinta-feira pela polícia, devido ao conteúdo das mensagens que tem publicado nas redes sociais, anunciou o próprio.

Na sua conta na rede social Twitter, Ahmet Sik escreveu: “Estou a ser detido, vão levar-me ao procurador por um tweet.”

A detenção foi igualmente noticiada pela agência de notícias estatal Anadolu, segundo a qual o jornalista foi detido sob acusações de ter insultado o Estado, os militares e a polícia e de ter feito propaganda terrorista.

Autor de vários livros e membro do Sindicato dos Jornalistas turco, Ahmet Sik foi detido durante um ano, em 2011/2012, a propósito de uma obra sobre o movimento liderado pelo líder islâmico Fethullah Gülen, na altura apreendida e banida pelas autoridades.

A detenção de Ahmet Sik acontece na altura em que o romancista Asli Erdogan e outros trabalhadores de um jornal pró-curdo estão prestes a ser julgados em tribunal sob acusações de apoio aos rebeldes curdos, considerados terroristas pelo regime de Ancara.

A perseguição e detenção de jornalistas, escritores e outros intelectuais têm sido uma constante na Turquia, desde a fracassada tentativa de golpe de Estado registada em julho.

Nos últimos seis meses, as autoridades turcas detiveram 1.656 pessoas por alegado apoio a organizações terroristas e insultos às autoridades nas redes sociais. Outras dez mil pessoas estão a ser investigadas pelas mesmas acusações, segundo dados do próprio governo.

A situação na Turquia foi considerada pela organização não-governamental Repórteres Sem Fronteiras como responsável pelo aumento do número de jornalistas presos em 2016, mais 22 por cento do que em 2015.

O balanço anual da organização, divulgado no dia 13, refere que, desde julho, o número de jornalistas presos quadruplicou na Turquia, atualmente “a maior prisão para jornalistas profissionais” do mundo.

“Em geral, basta fazer uma crítica ao poder ou ter certa empatia com o movimento [do religioso Fethullah] Gullen ou com o movimento político curdo para um jornalista ser enviado para a prisão, sem que a Justiça considere necessário provar o seu envolvimento em atividades criminosas”, denunciaram os Repórteres Sem Fronteiras.

Leia mais: Jornalista turco detido por mensagens nas redes sociais http://www.jn.pt/mundo/interior/jornalista-turco-detido-por-mensagens-nas-redes-sociais-5576706.html#ixzz4UFFCzEZt

Coluna de som poderá resolver investigação de homicídio

Um departamento de polícia dos EUA pediu à Amazon que permitisse acesso a dados possivelmente registados por uma coluna sem fios e ativada por voz, que poderá ter gravado o momento de um crime.

colunadesom

A coluna Echo, da Amazon, estava instalada e em funcionamento junto a um jacuzzi onde, em novembro de 2015, Victor Collins foi encontrado morto, com sinais de violência, em Bentonville, Arkansas. O homem tinha estado num convívio com amigos naquela casa, sendo o proprietário o suspeito do homicídio.

Apesar de o crime já ter mais de um ano, uma investigação do site “The Information” revelou agora que as autoridades tentaram ter acesso aos dados registados no servidor da empresa. Segundo o tribunal, a Amazon recusou aceder ao pedido judicial, por questões de privacidade dos clientes.

A empresa garante que não vai revelar informações sobre clientes “sem um pedido judicial válido e obrigatório”, disse a Amazon à BBC.

A polícia não sabe se poderá obter informação útil destes, mas conta encontrar um registo de som do crime, já que a coluna em questão tem um microfone permanentemente ativo, para responder a comandos de voz.

Sabe-se que a coluna começa a gravar quando ouve uma palavra-chave, mas, por vezes, fica ativa e a gravar quando há conversas perto dela, já que interpreta esse som como o início de um comando. O áudio é então enviado para os servidores da Amazon, que interpretam a gravação e indicam à coluna como responder ao comando.

O caso volta a abordar o dilema ético entre as necessidades da investigação judicial e o direito à privacidade, num mundo onde muita da nossa vida diária está registada em aparelhos eletrónicos.

Fonte: http://www.jn.pt/inovacao/interior/coluna-de-som-podera-resolver-investigacao-de-homicidio-5575877.html

 

Ir para a barra de ferramentas