Ignorância e brutalidade

A RTP é uma estação pública. Deve prestar um serviço público. A definição de serviço público é assunto para largos debates políticos e ideológicos pouco edificantes e sobre isso não me irei demorar.

 O que vejo é que a RTP tem num dos seus programas da manhã uma astróloga que faz previsões sobre o futuro dos telespectadores, com base em critérios altamente “científicos”. Tal é obviamente criticável: então a estação pública, paga pelos contribuintes, dá cobertura aos vendedores de banha da cobra?

Como se não bastasse, descobri que n’A 2 existe também um programa intitulado “Coutos e coutadas”. Basicamente, é um programa sobre uma série de grunhos que se reúnem nos momentos de ócio para abater a tiro umas quantas lebres, perdizes, faisões e javalis. Um dos grunhos em causa lamentava, ontem, o facto de ter acertado numa lebre mas ela conseguir fugir, “viva”. Viva e ferida, pois. A grande besta lamenta não ter conseguido abater a lebre. Não lhe tolda o espírito o facto de estar a provocar sofrimento desnecessário a um animal indefeso. O que fazer a um energúmeno como este?

Do ponto de vista da RTP, dá-se-lhe tempo de antena. É preciso instruir o povo, não é verdade?

 Quando chegar o Verão, lá regressam as touradas. Outro espectáculo da barbárie humana. Com direito a transmissão pela RTP.

Há alguma maneira de eu não pagar impostos para um serviço “público” que incita à violência, à ignorância e ao barbarismo?

3 Comments

  1. Os media reflectem o povo que temos. Dão o que o povo quer ver: novelas imbecis, concursos idiotas, programas de entretenimento com cartomantes, palhaços e cantores falhados, enfim, um retrato fiel da panóplia de ignorantes que infectam o país.
    Os caçadores e os tauromáquicos nada mais são que um conjunto de impotentes mentais, incapazes de gerir a sua frustração diária, tendo por isso necessidade de matar e mutilar criaturas indefesas.
    Gosto do teu blog. É mais uma lufada de ar fresco na blogosfera. Bem haja!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.