Texto 018 – Agentes de socialização

«A família já não é o agente central da socialização na nossa sociedade como o foi noutros tempos e noutras sociedades. Com muito maior importância surgiram, fora do âmbito da unidade doméstica, as instituições especializadas de carácter educativo. Mesmo durante o período pré-escolar, a família foi afectada por certos factores que lhe são exteriores. Sem contar com o número cada vez maior de creches pré-escola¬res, temos ainda o aparecimento do que se pode designar por indústria de orientação e conselhos aos pais, onde se incluem as grandes lojas para mães e as aulas espe¬ciais. E, além disso, não devemos esquecer os efeitos da televisão ao fornecer mode¬los de vida e de sociedade que podem estar, eventualmente, em desacordo com aque¬les que a família oferece.
Embora, em muitos casos, as funções de socialização da família tenham sido substi¬tuídas por outras instituições mais formais, seria errado sugerir que a família e a educação existem como instituições independentes na nossa sociedade.»

Peter Worsley, Introdução à Sociologia,
Publicações Dom Quixote, 1974 (adaptado)