SAPO — Últimas ofertas de emprego para professores

Lista de últimas Ofertas:
Data de Actualização Empresa Título
04/12/2014 Anónima Professor de Química
Ver Oferta
04/12/2014 Anónima Professor de Física
Ver Oferta
03/12/2014 School House Setúbal Formadores_curso Auxiliar de Farmácia e Parafarmác
Ver Oferta
03/12/2014 Anónima Formador Curso Aplic. Produtos Fitofarmacêuticos
Ver Oferta
02/12/2014 Anónima Professor de Inglês Part-Time precisa-se
Ver Oferta
01/12/2014 CMV Consultores Formador(a) .NET
Ver Oferta
01/12/2014 CMV Consultores Formador Java
Ver Oferta

Randstad “reprograma” professores desempregados

A Randstad levou 15 professores de volta às salas de aula, depois de vários meses de desemprego. Desta vez, não estão ali para ensinar, mas antes para aprender. De que se trata? De um programa-piloto de reconversão de competências que a empresa de trabalho temporário está a realizar em Portugal pela primeira vez na história, e que envolve uma parceria entre uma tecnológica (Coriand) e uma universidade de Lisboa.
A ideia é simples: a Coriand contactou a Randstad porque precisava de programadores java, que “são poucos e muito especializados”. E para responder ao cliente, a empresa de recursos humanos iniciou um processo de reprogramação de competências de pessoas que estavam sem trabalho há vários meses ou muito insatisfeitos com as funções que cumpriam.
“Temos sentido nos últimos 3 a 4 anos dificuldades acrescidas no preenchimento de vagas em funções técnicas muito específicas”, revelou a empresa de trabalho temporário ao Dinheiro Vivo.
Assim, juntaram 15 professores de Matemática, Física e Química, entre outros, que estavam “fora das tecnologias de informação” e iniciaram o projeto Reprograma a Tua Carreira, que poderá ser replicado a nível internacional futuramente. “É importante saber que podermos reprogramar as pessoas”, lembra a empresa, admitindo, no entanto, que “para iniciar este programa tivemos de entender quais eram as competências necessárias a um programador e quais eram as soft-skills dos candidatos que poderíamos utilizar e reformatar”.
O curso, que começou a 1 de outubro e tem a duração de três meses, está a decorrer nas instalações da Randstad e não tem custos para os formandos. No final, com base numa avaliação que será feita pela Randstad Tecnologies, estes formandos saberão se foram devidamente “reprogramados” e, se for o caso, terão emprego imediato.
A formação está a ser levada a cabo por professores universitários e técnicos daquela empresa e, segundo a Randstad, poderá criar “uma equipa de topo”.
Para já, a Randstad admite que a execução do programa está “a superar as expectativas de todos” e que “o empenho da equipa de recrutamento, da equipa de formadores e dos próprios formandos tem sido notável”.
O desemprego em Portugal está a cair desde fevereiro do ano passado, mas o número de pessoas sem emprego há mais de doze meses continua alarmante. São 461 mil portugueses, num universo de 688 mil desempregados.

Decreto-lei que aprova o regime jurídico da habilitação para a docência.

O decreto-lei aplica-se aos estabelecimentos de ensino superior, públicos e privados, que ministrem formação conducente à aquisição de habilitação profissional para a docência; Aos estabelecimentos de educação e ensino públicos, particulares e cooperativos que ministrem a educação pré-escolar, o ensino básico e o ensino secundário.
Algumas das alterações verificadas 

  • Aumento da duração dos mestrados desdobramento do mestrado em Ensino do 1.º e do 2.º Ciclo do Ensino Básico separando a formação de docentes do 2.º ciclo de Português, História e Geografia de Portugal da formação de docentes do 2.º ciclo em Matemática e Ciências Naturais;
  • Mecanismos de fixação das vagas para os ciclos de estudos de licenciatura em Educação Básica e de mestrado em Educação Pré-Escolar e em Ensino que visam assegurar um melhor ajustamento entre a oferta de formação e as necessidades efetivas do sistema educativo;
  • No quadro da transição entre a organização curricular atualmente em vigor e a aprovada pelo presente decreto-lei, a Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior promoverá a aplicação de procedimentos de avaliação e acreditação;

 

Leia mais: Decreto-Lei n.º 79/2014

”eSkills for Jobs 2014”

Esta iniciativa tem como objetivo sensibilizar e consciencializar os cidadãos para a necessidade de melhorarem o domínio das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) aplicadas ao seu quotidiano e ao seu ambiente de trabalho.

Em Portugal, a iniciativa ”eSkills for Jobs 2014” é coordenada pela Direção-Geral da Educação, com o apoio da Fundação para a Ciência e a Tecnologia e de um conjunto alargado de parceiros.

As atividades previstas no âmbito nacional distribuem-se ao longo do ano de 2014 e incluem uma reunião de lançamento, a realizar no dia 6 de junho, a participação em feiras nacionais sobre educação e emprego, campanhas no meios de comunicação social, nove encontros regionais dinamizados pelos Centros de Competência TIC (envolvendo Agrupamentos de Escolas, Estabelecimentos de Ensino Superior, empresas de referência, poder local e demais parceiros), vários webinars e a realização de uma conferência de encerramento, a realizar em Lisboa, em outubro de 2014.

http://www.sec-geral.mec.pt/index.php?option=com_acymailing&no_html=1&ctrl=url&urlid=1266&mailid=192&subid=7796

 

“A formação é imprescindível na procura de emprego”

Com uma taxa de empregabilidade de cerca de 20 por cento resultante das formações ministradas pela Adere Minho, a directora geral Teresa Costa fala de alguma retoma da oferta de emprego, contudo, ainda longe do desejável.

http://www.correiodominho.com/noticias.php?id=78531

 

“Nós recebemos muitas candidaturas para estímulos e estágios profissionais, as empresas estão à procura de pessoas no mercados de trabalho, mas também procuram este tipo de apoios que está a ficar um bocadinho estrangulado. Mas nota-se que os empresários estão interessados em contratar gente”, Teresa Costa falava ontem após uma sessão simbólica de entrega de certificados de formação profissional que contou com a presença do director do Centro de Emprego e Formação Profissional de Braga, António Pinheiro.

As acções de formação da Adere-Minho decorreram nos meses de Novembro e Dezembro do ano passado, entre Braga, Soutelo e Ponte de Lima, envolvendo 180 formandos nas áreas da saúde, serviço de apoio à criança e secretariado num total de mais de 600 horas de formação. Em parceria com cooperativa d e serviços a Relha, a Adere-Minho ministrou mais 450 horas de formação nas áreas de hotelaria, artesanato, serviços domésticos, gestão e administração, contabilidade e fiscalidade, higiene e segurança no trabalho.

Na ausência de projectos financiados, a Adere-Minho estabeleceu uma parceria com Mazagão, estando nesta altura a decorrer um curso EFA bordador de 740 horas que envolve 17 formandos (um homem e 16 mulheres), bem como as formações garantia jovem de técnicas de procura de emprego destinadas a desempregados licenciados.

O director do Centro de Emprego e Formação Profissional de Braga falou de um ligeiro decréscimo na taxa de desemprego no concelho de Braga.
António Pinheiro salientou a importância da formação que é imprescindível, quer para os que estão desempregados, quer para os que estão no activo. “Cada vez mais temos de ter mais valias no emprego, e para os desempregados estas formações permite-lhes ganhar mais competências para num futuro próximo terem a oportunidade de conseguir um emprego”.