Um desafio aos leitores

Existe uma diferença extraordinária entre os dois vídeos seguintes.

Em ambos é executado o primeiro andamento do Concerto para Clarinete de Mozart, mas há uma diferença fundamental que não passa meramente pela interpretação de cada solista. Esse é o desafio: descubra a diferença!

A

B

10 Comments

  1. O vídeo A só tem os últimos compassos da parte da introdução (que está o B) antes de entrar o clarinete. No vídeo A não oiço a trompa que está no vídeo B (e entra também nos ultimos compassos da introdução que ainda se ouvem no vídeo A…).Será isso!?

  2. Miss Sharon Kam usa um clarinete baixo em Dó Bemol, coisa raríssima no reino dos instrumentos.Imagens do dito podem ser vistas aqui:http://www.freewebs.com/clarinetland/theclarinetfamily.htmNormalmente, quando pensamos num clarinete baixo referimo-nos a um instrumento semelhante a um saxofone, em termos de configuração física. Mas se observarmos com cuidado, vemos que o clarinete que Sharon toca é substancialmente mais comprido do que o da versão B.

  3. Perdão: obviamente, não é em Dó Bemol, mas em Lá Bemol. Como é evidente, claro – porque se fosse em dó bemol, o melhor mesmo seria dizer que era um clarinete em Si :)

  4. Pois, para fazer esta observação é preciso ser clarinetista, ou pelo menos sopro, e mesmo assim uma pessoa podia não reparar, pois a própria miss Sharon parece-me bastante mais “comprida” que o outro solista e isto engana…

  5. Concordo. Tratava-se de uma questão difícil. Consegue-se lá chegar em duas pistas: o tamanho do tubo abaixo da mão direita de Missa Sharon é claramente maior e, sobretudo – e foi por aí que cheguei lá – há uma nota grave que o clarinete em Si Bemol não atinge, pois a sua tessitura não vai além do Mi ou MI Bemol do quarto espaço suplementar inferior.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.